quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

VETILLO EM DEBATE NESTE SÁBADO NO MEMORIAL DA AMÉRICA LATINA

Esperamos todos os premiados no dia 02 de fevereiro de 2013, no Memorial da América Latina, em São Paulo, a partir das 14h00. Auditório da Biblioteca do Memorial da América Latina
Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664, Barra Funda, São Paulo - SP (Próximo ao metrô Barra-Funda)

PREMIADOS:
Desenhista: Danilo Beyruth
Roteirista: Petra Leão
Cartunista: Jean Galvão
Lançamento: "O Astronauta, Magnetar" (Panini)
Lançamento independente: "Last RPG Fantasy"
Prêmio Jayme Cortez: Gibicon Curitiba
Fanzine: Quadrante Sul (RS)
Mestres: Marcos Maldonado, Júlio Emílio Braz, Jô Fevereiro.

PROGRAMAÇÃO
13h30 - Abertura do espaço "Banca da Comix" e Exposição "Trapalhões Estudio Ely Barbosa".
14h00 - Abertura da solenidade com João Batista de Andrade (Presidente do Memorial) e Gonçalo Jr (Gerente de Comunicação do Memorial).
14h30 - Mesa redonda "Os Quadrinhos dos Trapalhões no Estudio Ely Barbosa" com Otávio Barbosa, Eduardo Vetillo, Bira Dantas, Alexandre Silva e Cidão Norberto.
16h00 - Novidades nos Quadrinhos
16h30 - Inicio da Premiação
18h00 - Confraternização geral na Lanchonete do Memorial.
ENTRADA FRANCA
REPERCUSSÃO NA WEB http://www.universohq.com/quadrinhos/2013/n14012013_09.cfm http://petraleao.wordpress.com/2013/01/14/29o-premio-angelo-agostini/ OS TRAPALHÕES NOS ANOS ELY BARBOSA
De 1976 a 1987, o Gibi dos Trapalhões foi publicado pela Editora Bloch. Em 1979, passou a ser produzido pelo Estúdio Ely Barbosa, criador de inúmeros personagens (Cacá e sua Turma, Gordo, Patrícia, Os Amendoins, Zé Apostador, entre outros).
Esse período foi marcante na vida de muitos quadrinhistas: o chileno Carlos Cárcamo (irmão do ilustrador e caricaturista Gonzalo), os brasileiros -já veteranos- Eduardo Vetillo, Bonini, Joel França, Watson Portela, João Batista Queiroz, Sergio Lima, Carlos Migliorin, Pontes, Kimura e -os então novatos- Bira Dantas, Cidão e Arthur Garcia. Mas foram muitos outros artistas do traço, do nanquim, das cores e das letras que fizeram essa história.
Mingo e Vetillo nas capas; Sérgio Valezin, Genival Souza, Flávio da Costa Pinheiro, Ricardo Martins, Orlando S. Costa nos roteiros; letras e arte-final de Marcos Maldonado, Waldemar Watanabe, Wanderley Feliciano, João Andrade, Waldir Odorisso, Otávio Barbosa (filho de Ely); cores de Déborah Maluf, Alexandre Silva e Yara Raphael e coordenação de Theresa Rodrigues e Eliete R. Barbosa (respectivamente, esposa e filha do Ely).
O que mais chamava atenção nesta época eram os roteiros non-sense-anárquicos e os estilos diferentes de cada desenhista. Apesar de seguirmos o "model sheet" do "chileno" Cárcamo, o Ely não tentava uniformizar os estilos. Assim, durante uma década, muita gente boa se esbaldou pelos Quadrinhos que saíam daquele estúdio, da avenida Indianópolis...
TRAPAS NA WEB
Para quem quiser ter mais informações sobre este período da produção quadrinhística brasileira, acesse: http://www.bigorna.net/index.php?secao=birazine&id=1173761595 http://chester.me/archives/2007/05/bira_dantas_e_o.html http://www.universohq.com/quadrinhos/2009/trapalhoes.cfm
AGRADECIMENTOS
Essa HQ teve roteiro e desenhos de Bira Dantas (desenhos nas páginas 01, 02 e 18), Alexandre Silva (cores), Cidão Norberto (desenhos e diagramação das páginas 03 a 17) e os vários artistas que emprestaram seus Quadros "perdidos no tempo" para ilustrá-las! Boa diversão:

Um comentário:

  1. Caramba, que legal isso! Nem sei se alguem ainda vai ler esse comentário, já que a postagem é de 2013, mas sempre tive curiosidade em saber sobre essa publicação, pois Os Trapalhões da Bloch foi um dos mues gibis preferidos na infância e nunca encontrei maiores informações sobre isso.
    Era um humor escrachado e que fazia rir muito. Quando passou a ser editado pela Abril, com os personagens retratados como crianças, perdeu a graça.
    Pena que pouca gente conheceu e lembre dessas revistas...
    E acabei descobrindo que o desenhista que eu mais gostava dos traços se chamava Ademir Pontes...

    ResponderExcluir